Palavra do Presidente

NÓS E OS OUTROS

Louvável a iniciativa do Sr. José Augusto Viana Neto, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis CRECI/SP, produzindo reuniões com todos os conselhos de profissões regulamentadas de São Paulo.

Os conselhos vão muito além de simplesmente fiscalizar a atuação de seus profissionais, ou mesmo de autua-los; a entidade, também chamada de autarquia especial, trabalha para garantir o bem-estar dos seus e da sociedade, além de fazer cumprir as normas e garantir direitos de seus inscritos.

Nós, dos conselhos, sofremos com leis ultrapassadas, acórdãos espúrios gerados por políticos despreparados, que fazem com que os dirigentes se compliquem quando querem seguir uma gestão eficiente.

Se os conselhos não usam verbas públicas ou dos governos porque devem seguir regras do serviço público? Aí demoram para comprar, compram mais caro e nem sempre compram o que querem.

Seus funcionários não são funcionários públicos, são celetistas; seus dirigentes não recebem salários. Para contratar, demitir, comprar, vender, licitar e até mesmo negociar, os mandatários têm que se enquadrar, na marra, na linha burra de uma fiscalização bizarra, sujeita a prestação de contas ao Tribunal de Contas da União, o temido TCU.

Os conselhos, agora, têm a oportunidade de se organizarem, criticarem e sugerirem mudanças para conseguirem o que é justo para a categoria. Aqui a força política é fantástica, só falta utiliza-la; são milhões de filiados aos mais de trinta conselhos, sendo quatorze da área da saúde, com poucos representantes no congresso nacional e nas esferas de comando em Brasília.

Precisamos de mais “Vianas” para sermos respeitados pela cúpula do governo federal. As sumulas dos regionais devem pautar as reuniões dos Federais se quisermos honrar os cargos que ocupamos, até as operadoras de planos de saúde tripudiam em cima dos nossos funcionários.

A grande questão é saber a definição “somos ou não uma autarquia” com nossas regras, obrigações e direitos. Somos “especiais” por só termos que seguir as regras?

Quer a semente lançada aqui no CRECI/SP germine no conselhão, em Brasília, e chegue até uma reunião séria com os ministérios envolvidos e com os profissionais realmente preparados para gerir os interesses de sua classe.

Saudações Biomédicas,

Dácio Campos