Biomedicina e sua importância no contexto da saúde do País
"Vocês, biomédicos, têm grande responsabilidade social, muito além do que está sendo imaginado, sem que recebam o reconhecimento público da sociedade pelo valor de suas contribuições para a saúde do País.” A frase, do deputado federal Aldo Rebelo (PC do B/SP), presidente da Câmara, foi pronunciada por ocasião da sessão solene em homenagem à passagem do Dia do Biomédico.
“É preciso chamar a atenção da sociedade para a importância da contribuição do profissional biomédico na construção de um mundo melhor, com a ajuda que ele oferece às pessoas, cuidando de um aspecto muito importante, que é a saúde”, acrescentou na oportunidade o biomédico Lobbe Neto, deputado federal (PSDB/SP) e autor da lei que criou o Dia Nacional do Biomédico.
Resumindo e destacando: de fato, é preciso chamar a atenção da sociedade, pois o profissional biomédico não recebeu ainda o reconhecimento público dessa mesma sociedade, embora ele desempenhe importante papel no contexto da saúde da população brasileira.
E quem precisa chamar a atenção da sociedade? Cada um de nós ou — melhor ainda — todo o profissional biomédico preocupado com sua categoria, com o futuro da Biomedicina e com o sucesso de sua carreira.
O Conselho Regional de Biomedicina – 1ª Região está fazendo a sua parte desde a sua fundação. Conquistamos a confiança e a credibilidade das instituições científicas. Lançamos um jornal informativo que evoluiu para a atual Revista do Biomédico. Criamos o slogan “Biomédico, um profissional da saúde e da ciência” com o objetivo de divulgá-lo. Confeccionamos e distribuímos adesivos com o símbolo do CRBM para colocação em veículos. Editamos um vídeo institucional para apresentar a Biomedicina à sociedade brasileira. Produzimos bottons com o símbolo do CRBM que foram enviados aos inscritos. Organizamos a sessão solene da Câmara dos Deputados, em Brasília, que marcou a passagem do Dia do Biomédico, e agora estamos distribuindo um DVD do evento para todos os inscritos. Da mesma forma, os demais CRBMs, o CFBM e, mais recentemente, as associações e os sindicatos buscam o mesmo objetivo. É chegada a hora de prevalecer o empenho pessoal. O momento é agora. Todos devem participar.
Superamos períodos difíceis. Se, no passado, desconhecíamos os caminhos para a construção da categoria, fomos levantar informações em profissões semelhantes, nos espelhamos em outros exemplos, procuramos montar uma estrutura compatível. Em uma profissão jovem, que só agora comemora pouco mais de um quarto de século de regulamentação, continuamos enfrentando o corporativismo de outras profissões, a pressão de organizações com mais poder e, mesmo diante dessas adversidades, sempre procuramos a melhor solução para que prevalecessem os nossos direitos.
Agora sim, a Biomedicina está plenamente consolidada. Toda a estrutura obtida ao longo de décadas, à custa de muito sacrifício, está à serviço do profissional. E temos de nos preparar para novas etapas. Embora já tenhamos obtido muito desde a criação da Biomedicina, ainda temos muito a realizar. Precisamos fazer prevalecer essas conquistas.
Temos consciência de que cumprimos nossos objetivos e agora podemos
MARCO ANTONIO ABRAHÃO

pensar no futuro: queremos avançar, obter novas vitórias para a categoria, visando facilitar a atuação de novos biomédicos e sensibilizar a sociedade sobre a real importância da Biomedicina no contexto da saúde do País.
Atingimos o que consideramos ser o momento mais importante de nossa profissão. Com nossas instituições plenamente legalizadas, precisamos partir para uma nova etapa da missão: mostrar para a sociedade quem somos, o que fazemos — na docência, nas clínicas, nos laboratórios, nos hospitais, nas pesquisas, nas instituições públicas, na indústria, no comércio — enfim, qual a importância da nossa atividade para a sociedade no desenvolvimento de 29 habilitações.
Se não podemos ainda investir, como gostaríamos, em campanhas publicitárias capazes de apresentar a Biomedicina para a sociedade, devido aos elevados custos dessa promoção, que cada profissional procure mostrar a carreira, a sua importância e a sua evolução constante sempre que tiver oportunidade. Todo dia é dia de divulgar a Biomedicina.
É importante que cada biomédico reflita sobre o momento em que vive e que tipo de colaboração pode oferecer para o engrandecimento da profissão. As portas deste Conselho (CRBM – 1ª Região), da Associação Brasileira de Biomedicina (ABBM), e do Sindicato dos Biomédicos Profissionais do Estado de São Paulo (Sinbiesp) estão abertas. Todas essas instituições precisam de gente disposta a lutar pela profissão. Ainda somos poucos e há muito para ser feito. Que cada um faça a sua parte se de fato pretende desempenhar sua profissão com dignidade e viver em um Brasil melhor.

Marco Antonio Abrahão
é presidente do Conselho
Regional de Biomedicina


VOLTAR PARA O SITE VOLTAR PARA O ÍNDICE SAIR / FECHAR