• Audiência Pública – Tema: “Debater o uso de reagentes para detecção de drogas de abuso por agentes de segurança pública”.

    A Comissão de Viação e Transportes – CVT da Câmara dos Deputados realizou na terça (25) audiência pública para debater o uso de reagentes para detecção de drogas de abuso por agentes de segurança pública.… leia na integra

  • BENEFÍCIOS DA RESOLUÇÃO CFBM Nº- 255, DE 12 DE JUNHO DE 2015

    Leia na integra a resolução 255 que trata dos seguintes assuntos de interesse da categoria no nosso link resoluções:

    “…………………Art. 1º – O profissional Biomédico, em pleno exercício de suas atividades, quando acometido de doenças consideradas graves e/ou outras que vierem a ser especificadas pelas leis Brasileiras, entre as quais encontram-se estatuídas pela Lei nº.… leia na integra

  • VI Simpósio de Pós-Graduação em Análises Clínicas – SIMPAC

      É com grande satisfação que anunciamos o VI Simpósio de Pós-Graduação em Análises Clínicas – SIMPAC, um evento organizado por pós-graduandos e professores da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo.… leia na integra

Notícias

  • Audiência Pública – Tema: “Debater o uso de reagentes para detecção de drogas de abuso por agentes de segurança pública”.

    A Comissão de Viação e Transportes – CVT da Câmara dos Deputados realizou na terça (25) audiência pública para debater o uso de reagentes para detecção de drogas de abuso por agentes de segurança pública. A audiência foi realizada em atendimento à requerimento do deputado Hugo Leal (PROS-RJ), que presidiu a reunião.

    LEIA O RESUMO DA AUDIÊNCIA PÚBLICA - CVT- Audiencia Publica CFBM

  • BENEFÍCIOS DA RESOLUÇÃO CFBM Nº- 255, DE 12 DE JUNHO DE 2015

    Leia na integra a resolução 255 que trata dos seguintes assuntos de interesse da categoria no nosso link resoluções:

    “…………………Art. 1º – O profissional Biomédico, em pleno exercício de suas atividades, quando acometido de doenças consideradas graves e/ou outras que vierem a ser especificadas pelas leis Brasileiras, entre as quais encontram-se estatuídas pela Lei nº. 11.052, de 29 de dezembro de 2004, poderá requerer junto ao respectivo Conselho Regional de Biomedicina o desconto de noventa (90%) por cento e/ou a remissão da anuidade.

    Art. 2º – O profissional Biomédico, a partir da colação de grau no primeiro ano de sua inscrição terá 50% (cinquenta por cento) de desconto na anuidade e, a partir do segundo 2º (segundo) ano de inscrição sua anuidade será aquela atribuída pelo Conselho Regional de Biomedicina.

    Art. 3º – O profissional Biomédico devidamente regularizado e em dia com suas obrigações e anuidades na data base para o pagamento estabelecido pelo Conselho Regional de Biomedicina que não esteja respondendo a processo ético-disciplinar e com pagamento ininterrupto pelo período de 10 (dez) anos, terá desconto de 10% (dez por cento), com vinte (20) anos, o desconto é de 20% (vinte por cento), no pagamento de sua anuidade.

    Art. 4º – O Biomédico com 65 (sessenta e cinco) anos de idade, em dia com suas obrigações e anuidades, que tenha contribuído de forma ininterrupta por 20(vinte) anos, que não esteja respondendo a processo ético-disciplinar, fica remido do pagamento, assim, também, a mulher que preencher os mesmos requisitos e tiver completado 60 (sessenta) anos de idade.

    Art. 5º – O requerimento deverá ser protocolado e formalizado através de processo, obrigatoriamente deverá ser levado ao plenário por despacho do Presidente do respectivo Conselho Regional de Biomedicina para deliberação. Em caso de indeferimento, o presidente do Conselho Regional de Biomedicina, deverá no prazo de 05 (cinco) dias, notificar o autor do requerimento ou seu advogado, para querendo apresentar recurso no prazo de trinta (30) dias para o Conselho Federal de Biomedicina, que, em igual prazo a contar do protocolo junto ao Conselho Federal de Biomedicina, deverá deliberar o requerimento em plenário”………………………

  • VI Simpósio de Pós-Graduação em Análises Clínicas – SIMPAC

      É com grande satisfação que anunciamos o VI Simpósio de Pós-Graduação em Análises Clínicas – SIMPAC, um evento organizado por pós-graduandos e professores da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo. O evento tem como objetivo discutir temas  atuais das áreas de Análises Clínicas, Fisiopatologia e Toxicologia, além de proporcionar um momento de interação entre alunos de pós graduação e pesquisadores de destaque em suas áreas de pesquisa.

     Este ano ocorrerá também a primeira edição do International Symposium on Pathophysiology and Toxicology, onde abordaremos temas como: Publicações de alto impacto em revistas internacionais, Biologia de sistemas, Screening de drogas, Avaliação de toxicidade, Inovação, Empreendedorismo, Propriedade Intelectual e Internacionalização, entre outros.

    http://simpac.wix.com/simpac

  • PROTOCOLOS DE ATENÇÃO BÁSICA – SAÚDE DA MULHER – consulta pública

    Os protocolos da Atenção Básica (AB) buscam trazer subsídios para a qualificada tomada de decisão por parte dos profissionais de saúde, de acordo com aspectos essenciais para a produção do cuidado na AB. Dialogam com os princípios e diretrizes da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM) por considerar o gênero, a integralidade e a promoção da saúde como perspectivas privilegiadas, bem como os avanços no campo dos direitos sexuais e reprodutivos, sob orientação das diferentes dimensões dos direitos humanos e questões relacionadas à cidadania.1,2. Dessa forma, contempla desde temas como pré-natal, puerpério e aleitamento materno até planejamento reprodutivo, climatério e atenção às mulheres em situação de violência doméstica e sexual, e ainda a abordagem dos problemas/queixas e a prevenção dos cânceres que mais acometem a população feminina.
    A construção do material foi balizada pelos pressupostos da Política Nacional de Atenção
    Básica (PNAB), na busca por uma AB acolhedora, resolutiva e que avance na gestão e coordenação do cuidado ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). Há o pressuposto de que o protocolo seja permeável ainda ao reconhecimento de um leque maior de modelagens de equipes para as diferentes populações e possíveis adequações às distintas realidades do Brasil3. Vale lembrar que este material  não abarca todas as possibilidades de arranjos e práticas de cuidado em saúde das mulheres na AB, nem nos demais níveis de atenção, mas traz ofertas para o fortalecimento da Atenção Básica como importante ponto de atenção – de coordenação do cuidado e porta de entrada preferencial no sistema
    – que opera dentro de um arranjo maior de Redes de Atenção à Saúde, a fim de ampliar o acesso, melhorar a qualidade dos serviços, os resultados sanitários e a satisfação dos usuários, com uso racional dos recursos do SUS.4

    acesso ao documento:

    201508121048_Protocolo_Saude_da_Mulher_ConsultaPublica

  • Veja Mais...